Terça, 11 de Agosto de 2020 00:01
19 9 8882-5790
Saúde UTI Virtual

Em quase dois meses, Hospital da Mulher atende 441 pacientes de Covid-19

Unidade foi pioneira pelo SUS em Alagoas a utilizar o serviço para tratar internos com a doença

23/07/2020 13h04
Por: Rafael Sobral Fonte: Agência Alagoas
Divulgação
Divulgação

Por meio da tecnologia digital aplicada à telemedicina, baseada em sistemas de segunda opinião e apoio à decisão médica, o Hospital da Mulher Dr.ª Nise da Silveira (HM), em Maceió, foi a primeira unidade pública de Alagoas a utilizar a UTI Virtual Covid-19. Em menos de um mês, 441 pacientes acometidos pelo novo coronavírus já foram atendidos.

 

Iniciado em 27 de maio deste ano, o projeto é executado em parceria com o Hospital do Coração de Alagoas, através da Fundação Cordial, e conta com o apoio da Equatorial Energia, da Aloo Telecom, de membros da sociedade civil e do Ministério Público do Trabalho (MPT).

Por meio do projeto, médicos, fisioterapeutas, enfermeiros e especialistas em medicina intensiva ficam de plantão na UTI virtual do Hospital do Coração, interagindo com várias UTIs reais ao mesmo tempo. Isso se dá por meio da conexão digital, na qual videoconferências e trânsito de imagens diagnósticas permitem a discussão dos casos mais difíceis. 

 

Além de o Hospital da Mulher, o projeto UTI Virtual Covid-19 abrange os principais hospitais da rede SUS em Alagoas: Hospital Metropolitano, Hospital Regional de Arapiraca, Santa Casa de São Miguel dos Campos e Hospital Carvalho Beltrão, em Coruripe.

Para a infectologista e gerente médica do HM, Sarah Dominique, a medicina virtual, através da visita multidisciplinar com os profissionais das áreas médicas da UTI, tem conseguido ajudar os profissionais que estão na ponta. “Todos os dias, o paciente é avaliado e reavaliado por essa equipe da UTI Virtual, promovendo um cuidado contínuo no que diz respeito ao tratamento do paciente. Essa continuidade é o principal foco da UTI Virtual e o projeto tem conseguido gerar resultados bons e satisfatórios, sobretudo no que se refere à resposta clínica do paciente, onde o período de internação, em alguns casos, é reduzido”, salientou.

Para o nefrologista e coordenador médico do Centro de Terapia Intensiva Covid-19 do HM, Luiz Guilherme de Almeida, a troca de informações entre os especialistas tem sido de fundamental importância para a tomada de decisão terapêutica de cada paciente que é assistido nos leitos da UTI do hospital. “Essa troca de conhecimentos entre os médicos especializados em terapia intensiva do Hospital do Coração e os médicos do Centro de Terapia Intensiva Covid-19 do HM, tem conseguido trazer uma maior serenidade e clareza para discutirmos os casos clínicos”, garantiu.

Através da ciência, da tecnologia, da troca de experiências e de conhecimentos entre os especialistas, o diretor-executivo da Fundação Cordial, Otoni Veríssimo, avalia o projeto UTI Virtual Covid-19 como uma forma de somar esforços às ações dos profissionais de saúde que estão atuando na linha de frente no combate à Covid-19. 

 

“Tem sido muito gratificante trocar experiências com esses profissionais que estão, bravamente, atuando na linha de frente no combate à Covid-19. Desde já, quero parabenizar a toda equipe do Hospital da Mulher que está envolvida no projeto, pois o objetivo comum da UTI Virtual é salvar vidas, de modo que a gente possa contribuir ainda mais com nosso conhecimento e vivência, em prol do próximo. A meu ver, isso é indescritível e imensurável”, destacou.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.