Terça, 11 de Agosto de 2020 01:45
19 9 8882-5790
Cidades Manifestação

Taxistas pedem retorno das atividades em forma de protesto

Toda a categoria está impedida de trabalhar há mais de 4 meses

27/07/2020 13h13
Por: Victor Santana Fonte: Gazeta Web
Foto: Ascom/BPTran
Foto: Ascom/BPTran

Dezenas de taxistas que rodam no interior de Alagoas protestaram, na manhã desta segunda-feira (27), para cobrar o retorno das atividades ao Governo do Estado. Os manifestantes se concentraram no espaço em frente a um supermercado, localizado no bairro Jardim Petrópolis, em Maceió, de onde partiram, em carreata, em direção ao Palácio República dos Palmares. 

O grupo ocupou a faixa do meio da Avenida Fernandes Lima, no Farol, durante a manifestação até o destino, no centro da capital. O ato foi acompanhado por militares do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran).

A categoria está impedida de trabalhar há mais de 4 meses, quando foram impostas regras de isolamento social para combate ao coronavírus, e, desde então, informa que os prejuízos financeiros só têm aumentado a cada dia que se passa, provocando até desespero em muitos profissionais.

O presidente da Atial [Associação dos Taxistas do Interior do Estado de Alagoas], Luiz Carlos da Silva Liberato, revelou que a entidade enviou vários ofícios endereçados ao governador Renan Filho (MDB), com apelo para que a classe fosse contemplada com o retorno das atividades ou para que recebesse alguma compensação financeira pelas perdas acumuladas neste período.

"No entanto, nenhum pedido que a gente fez foi atendido. Sequer os ofícios foram respondidos até a data de hoje, obrigando a nossa categoria a se mobilizar e tentar, nesta segunda-feira, sentar com o Governo para buscarmos um entendimento. O descaso do poder público com os taxistas do interior não pode continuar", ressalta o líder da entidade.

Ele comenta que a revolta tem sido maior pelo Estado, por meio da Arsal [Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Alagoas], só liberar e negociar a retomada do trabalho dos transportadores complementares, marcada para esta terça-feira (28). 

"Temos que batalhar pelo nosso sustento também. Tem companheiros desesperados, passando necessidades em casa, sem saber o que vai fazer daqui para frente", afirmou Luiz Carlos.

Enquanto os taxistas protestam pela retomada das atividades, o transporte público na capital segue superlotado, o que vai de encontro às normas sanitárias de segurança. Diariamente, inúmeros passageiros são flagrados dentro dos coletivos, o que já evidencia a falta de distanciamento social, e, muitas vezes, sem nenhuma proteção, como o uso de máscaras e álcool em gel.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.